O que faz uma IPA ser uma IPA de verdade?

Categorias Cervejas, Curiosidades, DESTAQUES

As cervejas estilo IPA estão cada vez mais em evidência, vamos descobrir um pouco mais sobre as India Pale Ale e suas variações

Acompanhamos um dia de produção na Cervejaria Cathedral para entendermos mais sobre os processos que estão ligados a criação das India Pale Ale, confira a matéria que reúne tudo o que você precisa saber sobre: Como são feitas as IPAs ?

 

 


Todo estilo de cerveja tem uma história de origem. Seja por uma ideia bem executada e as vezes até um erro. As Indian Pale Ale possuem uma história peculiar. Muitos apontam duas teorias para a sua criação, mas o que ambas vertentes concordam é no fato do estilo ter surgido no século XVIII. Com a necessidade de uma cerveja que aguentasse viagens da Inglaterra para à Índia, o cervejeiro George Hodgson criou uma receita com um elevado teor de lúpulo para aguentar a jornada de navio do Reino Unido até a colônia indiana. Daí surgiu o nome, India Pale Ale.

 

 

As IPAs que seguem a essência do estilo podem ser resumidas em cervejas que possuem um intenso aroma e sabor de lúpulo. Essa poderia ser a definição mais simplória para o estilo que vem crescendo cada vez mais paladar dos amantes do nosso líquido sagrado.

Os cuidados nos processos de estruturação de uma receita são sempre analisados com foco no objetivo final, a cerveja. Tudo é calculado e previsto ainda no desenvolver da receita; quantidade e as características das leveduras utilizadas, a temperatura programada na etapa do processo de mosturação, as etapas cruciais para que a cerveja apresente suas qualidades vitais do estilo, como: corpo, teor alcoólico, amargor, aroma, etc.

Por vezes, a IPA é lembrada por um caráter cítrico, que remete às frutas tropicais, como o maracujá, tangerina, manga e melão, por exemplo. Mas se engana quem pensa que esses aromas são provenientes da presença das frutas na receita, essa impressão imediata está ligada aos tipos de lúpulos utilizados. Elas apresentam um leve dulçor provenientes do malte que pode ser encontrado em segundo plano, contrastando com o amargor evidente. Possui corpo médio baixo e carbonatação moderada.

A parte fundamental para a criação de uma IPA fica por conta da sábia e responsável utilização do lúpulo. Ele é utilizado em diversos momentos do processo, com destaque para o dry hopping, que na maioria das vezes é realizado ao término da fermentação. Neste processo o lúpulo adicionado não é fervido, por isso, a cerveja final possui aroma mais evidentes, resultantes apenas da extração de óleos essenciais e voláteis presentes no lúpulo, que são perdidos no processo de fervura.

Vale a pena lembrar que atualmente a nomenclatura IPA possui grande apelo comercial e diversas cervejarias buscam explorar este estilo com o intuito de atrair o interesse do consumidor. Como trata-se de uma cerveja com custo elevado na produção, por conta de adições massivas de lúpulo, algumas fábricas insistem em economizar em seu principal ingrediente: o lúpulo! Mesmo com utilizações muito abaixo do que se espera para uma IPA justa, o mercado de cervejas em alguns momentos insiste em rotular alguns produtos como tal. Neste caso, cabe a você, consumidor, distinguir uma verdadeira IPA de outra que apenas tenta se aproveitar de uma nomenclatura facilitadora de vendas.

1 – Cereais utilizados para criarmos a IPA; 2 – Encaminhamento para o setor de Brassagem; 3 – Mosturação em processo com temperatura gradativamente programada; 4 – Fervura; 5 – Transferência para adega; 6 – Fermentação, dry hopping e maturação em andamento; 7 – IPA armazenada no barril; 8 – Agora é só degustar!

 

 

 

Cada estilo de cerveja possui diversos sub-estilos, uma vez que no ramo da fabricação de cervejas a invenção e criatividade sempre são bem vindas. Com as IPAs não é diferente. Dentre esses sub-estilos destacam-se as: American IPA (utilização de lúpulos norte-americanos com sabor e aroma característicos), English IPA (a IPA ‘’tradicional’’, mais maltada e com aroma de lúpulos em evidência), Imperial IPA (versão mais potente da IPA, com acentuado amargor), Session IPA (mantém as características aromáticas do estilo base, porém com menor teor alcoólico e amargor).

 

 

 

Aqui na Cervejaria Cathedral já foram produzidos diversos estilos diferentes de cervejas, dentre sazonais, experimentos, colaborativas e as que sempre retornam às torneiras; iremos destacar algumas de nossas IPAS queridinhas:

  • Armagedom | Imperial IPA (ABV 9,00% – IBU 90) – Medalha de Prata no Concurso Brasileiro da Cerveja (2018).
  • Yellowspício | Session Rye IPA (ABV 5,00% – IBU 30) – Medalha de Prata no Concurso Brasileiro da Cerveja (2018).
  • Serena Session | Session IPA (ABV 4,80% – IBU 30) – Medalha de Ouro no Concurso Brasileiro da Cerveja (2018).
  • Sacrossanta | Belgian IPA (ABV 6,50% – IBU 55) – Medalha de Prata no Concurso Brasileiro da Cerveja (2017).
  • Not So Black IPA | Dark IPA (ABV 6,40% – IBU 55) – Colaborativa com a Cervejaria Caramujo.
  • Cathedral IPA | American IPA (ABV 7,20% – IBU 70) – Cerveja clássica da casa que conta com muito admiradores.
  • Complicada e Perfeitinha | American IPA (ABV 6,20% – IBU 66)
  • Abissal | Brown IPA (ABV 6,70% – IBU 60)
  • Doido de Verde | American IPA (ABV 6,40% – IBU 65)
  • Cream MustachAle | Session Oatmeal IPA (ABV 5,00% – IBU – 27)
  • Fumegante | Smoked IPA (ABV 7,40% – IBU 60) – Colaborativa com a Biergode Brassaria.
  • OP 37 | English IPA (ABV 6,50% – IBU 65)
Exemplos de IPAs Cathedral

A Cervejaria Cathedral foi eleita a Melhor Cervejaria do Brasil em 2018 e em 2019. Não esqueça de nos fazer uma visita, atendemos em duas unidades com estilos 100% fabricados pela própria cervejaria. Consulte em www.cervejariacathedral.com.br as cervejas disponíveis nas unidades e venha saborear uma IPA conosco. Deixe nos comentários sua opinião sobre o estilo e se gostaria de mais matérias como essa, até a próxima.

Cervejaria Cathedral Fábrica Bar – Av. Dr. Alexandre Rasgulaeff, 5733
Terça – Quinta: 18h – 01h;
Sexta: 18h – 01h30;
Sábado: 18h – 01h30;
Domingo: 18h – 23h.

Cathedral Sports Bar – Av. Xv de Novembro, 170
Segunda – Sábado: das 11h à 01h;
Domingo: das 11h às 23h.

''Todo o pão carrega a triste história de um trigo que sonhou em ser uma cerveja''

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *